sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Clima, Relevo, Vegetação e Hidrografia da Grécia.


Na superfície da península balcânica e das ilhas do Egeu, primeiras regiões ocupadas pelos gregos, predomina o relevo montanhoso. As montanhas mais elevadas têm orientação noroeste-sudeste (Cadeia do Pindo) e seu ponto culminante é o Monte Olimpo, com 2.917 metros. Há numerosas cavernas e, entre elas, planícies e pequenos planaltos cercados por terreno acidentado e de acesso difícil. O relevo de toda a parte oriental do Mediterrâneo se formou durante o Terciário, entre 65 e 2 milhões de anos A.P. Há ainda significante instabilidade geológica na região, e abalos sísmicos ocorrem de tempos em tempos até hoje.
As demais regiões ocupadas pelos gregos têm morfologia semelhante. Um planalto elevado domina a península anatólica e a costa, bastante estreita, é recortada e cheia de pequenas ilhas. O sul da península italiana tem uma cadeia montanhosa central (Apeninos) cercada de pequenas planícies costeiras; o relevo da Sicília é, no entanto, pouco pronunciado e há amplas e férteis planícies.

O clima é mediterrâneo em grande parte do território, com sensíveis diferenças entre as regiões localizadas a oeste do Pindo, mais quentes e úmidas, e as orientais, mais secas e de temperaturas mais baixas. Nas regiões montanhosas ocorrem climas semicontinentais.

A vegetação é tipicamente mediterrânea (pinheiros, oliveiras, vegetação rasteira e matas esparsas) nas regiões meridionais e centrais. No norte prevalece o tipo de vegetação característico da Europa central, com florestas mistas. Nas planícies predomina vegetação arbustiva e herbácea. Nos planaltos do centro e do sul aparecem árvores de folhas caducas, sobretudo o carvalho e o castanheiro. Acima de 200m estendem-se florestas e cerrados. Nas regiões centrais, sobretudo nas zonas de floresta, a fauna é do tipo centro-europeu, com ursos, lobos, javalis, linces, martas, corças, camurças e vários répteis. No litoral predominam as espécies mediterrâneas, como o chacal, o bezoar (espécie de cabra selvagem) e o porco-espinho. Entre as aves, salientam-se pelicanos, garças, cucos e cegonhas. Muitas espécies do norte da Europa migram para a Grécia durante o inverno.

A hidrografia grega é pobre, devido à abundância de solos calcários, que determinam represamentos subterrâneos. Os rios são curtos, com volume irregular durante o ano, não são navegáveis e têm limitadas possibilidades para a irrigação. Os principais cursos fluviais gregos são o Vardar, o Struma e o Nestos, que cruzam a Macedônia e a Trácia para desembocar no mar Egeu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário